Selo Black Friday

Imprensa

Rossi: Tradição para atender a todos os segmentos

Fonte: Jornal do Comércio - RS

Publicado em: 30/09/2010

Uma das principais incorporadoras do País, a Rossi, sediada em São Paulo, completa 30 anos em 2010 com presença em mais de 70 cidades de 15 estados, além do Distrito Federal. A distribuição geográfica é feita por meio de nove regionais, sendo uma para os estados do Sul. No Rio Grande do Sul, a construtora e incorporadora atua há onze anos e também opera uma fábrica de pré-moldados, conta o diretor da regional sul, Gustavo Kosnitzer. A unidade de pré-moldados fornece estruturas para atender a demanda das obras locais.

A regionalização é um dos diferenciais da Rossi. “A operação local é que faz diferença”, avalia o diretor, sobre a proximidade com o mercado por meio da presença regional. A Rossi atua em todos os segmentos de imóveis. O mais representativo entre eles é o econômico, que gera cerca de 50% dos negócios. “A Rossi tem conhecimento e história para atuar nos segmentos econômicos”, comenta Kosnitzer. A companhia lançou, ainda na década de 1990, o Plano 100, para responder às dificuldades de financiamento da classe média na época.

Na faixa de imóveis do segmento econômico, foram lançados 19 empreendimentos com 4.711 unidades no segundo trimestre deste ano, que totalizam um Valor Geral de Vendas de R$ 575 milhões (R$ 375 milhões da parte Rossi), informa a empresa no relatório financeiro do período. Existia uma demanda reprimida neste segmento de público, observa Kosnitzer. A conjuntura de juros menores, alongamento de prazos de financiamento e a existência de empresas preparadas para atender este consumidor tem gerado crescimento do mercado, acrescenta ele.

O portfólio da Rossi inclui imóveis do programa habitacional Minha Casa, Minha Vida. No segmento de alto padrão, a companhia lançou o Central Parque, um bairro planejado junto à avenida Ipiranga. O complexo inclui apartamentos, casas e escritórios comerciais com infraestrutura de lazer e serviços.

Preocupada em preservar o meio ambiente, a Rossi criou uma área específica para cuidar das iniciativas ligadas à sustentabilidade. O departamento da empresa pretende estudar e incentivar a adoção de medidas nessa linha tanto nos escritórios quanto em obras da Rossi.

A companhia brasileira é um dos membros fundadores do Green Building Council Brasil. Em seu relatório de sustentabilidade de 2009, informou investimentos de R$ 6 milhões no ano passado em proteção ambiental para a correta destinação de resíduos, treinamento de pessoal, serviços de proteção e instalação de tecnologias mais limpas, entre outras medidas.

Em seu mais recente resultado divulgado, a Rossi alcançou lucro líquido de R$ 109,3 milhões no segundo trimestre deste ano, valor 114% acima do registrado no mesmo período de 2009. A companhia integra o Novo Mercado da BM&FBovespa, o nível mais elevado de governança corporativa.

A Rossi lançou, na semana passada, o Rossi Fiateci, que pretende revitalizar o 4º Distrito de Porto Alegre. O empreendimento terá 400 apartamentos, 158 salas comerciais e 52 lojas. O projeto prevê, ainda, a restauração do prédio da antiga fábrica de tecidos Fiateci, localizado na rua Voluntários da Pátria.

Em 2009, a empresa lançou o Central Parque, bairro planejado perto do Jardim Botânico e da Pucrs. O complexo ocupa 282 mil metros quadrados, com quarteirões comerciais e residenciais. O setor comercial terá edifício de escritórios, hotel e centro comercial. Os quarteirões residenciais funcionarão como um condomínio fechado, com casas e prédios de apartamentos, associados a opções de lazer.

As áreas verdes ganharam destaque no bairro. Cada quarteirão fechado abrigará seu próprio bosque. “Novos bairros com conceito urbanístico têm feito diferença”, ressalta o diretor da regional sul da Rossi, Gustavo Kosnitzer, ao avaliar que todas as metrópoles experimentam uma tendência de descentralização urbana devido à escassez de áreas.

Depois do Central Parque, a Rossi lançou em julho, também na capital gaúcha, seu segundo bairro planejado, o América, no Alto Petrópolis. O bairro ocupará terreno de 300 mil metros quadrados, com 92% do espaço destinado a áreas verdes, de circulação e lazer. Serão 118 mil metros quadrados de mata preservada.

O Rossi Caribe foi o primeiro empreendimento lançado no bairro. Ele possui apartamentos de dois e três dormitórios, divididos em quatro torres, de nove e catorze andares, com uma distância média de 60 metros entre elas. A área de lazer inclui piscina, pet play (para os animais de estimação), espaço gourmet, fitness coberto, salão de festas adulto e infantil, sala de jogos, brinquedoteca, quadra esportiva e lan house, entre outras opções. O bairro terá 15,3 mil metros quadrados de avenidas e ruas planejadas, 2,7 mil unidades e deve gerar cerca de 1.500 empregos diretos e indiretos na região.

Outra obra que representa uma tendência das construções é o Parigi, no bairro Três Figueiras, que teve incorporação e realização da Rossi, com participação e construção da Melnick Even. O prédio tem uso misto, com quatro andares comerciais e acima deles, os residenciais.

Corretor Online

Preencha nome e e-mail para iniciar um chat ao vivo com nossos corretores.

CRECI

Vídeo