Imprensa

Rossi lança plano para segmento econômico

Fonte: MISASI

Publicado em: 13/06/2007

Para 2009, a previsão é de 8 mil unidades, com VGV de R$ 720 milhões. Já em 2010, o VGV da Rossi deve ser de R$ 1,08 bilhão, com 12 mil unidades. Para 2011, o VGV esperado é de R$ 1,350 milhão e 15 mil unidades. O banco de terrenos para o segmento econômico é de R$ 2,6 bilhões, com potencial de 28.560 unidades. Do estoque, 16.036 unidades serão produzidas nos empreendimentos Villa Flora, 10.380 nos praças residenciais e 2.144 nos prédios verticais.

No final do primeiro trimestre, o banco de terrenos da Rossi para o segmento econômico era de R$ 1,9 bilhão. Recentemente, a companhia revisou sua estimativa de VGV para este ano de R$ de R$ 1,350 bilhão a R$ 1,5 bilhão, para R$ 1,6 bilhão a R$ 1,8 bilhão. A revisão ocorreu principalmente em função da expectativa do segmento econômico.O Villa Flora é um produto em que a Rossi compra grandes glebas e faz loteamento e incorporação. As unidades têm entre 46 e 115 metros e são comercializadas com valor a partir de R$ 45 mil, com prestação de R$ 183,00 ao mês durante a obra e R$ 481,00 após a entrega.

Prestação

O empreendimento praças residenciais é composto de edifícios de quatro andares com elevador, com piscinas, quiosques, salão de festas e playground. As unidades têm entre 50 e 82 metros quadrados e serão vendidas a partir de R$ 65 mil. Durante a obra, a prestação é de R$ 252,00 e R$ 662,00 após a entrega. Esses dois produtos são voltados principalmente às cidades do interior.

 Já os prédios verticais serão produzidos principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro, onde o custo do terreno é maior. As unidades têm entre 46 e 72 metros quadrados e valor a partir de R$ 88 mil. O preço da parcela é de R$ 312,00 e de R$ 821,00 após a entrega.

A Rossi já lançou um Villa Flora em Sumaré e tem projetos do produto em Sorocaba e nas regiões metropolitanas de Porto Alegre, Vitória e Goiânia. O empreendimento praças residenciais já foi lançado em Campinas, denominado Avalon. O Avalon 2 deve ser lançado este ano, assim como um empreendimento em São José dos Campos, um em Santo André e dois em Porto Alegre.

 A Rossi fará também dois lançamentos de prédios verticais em Santo André e Campinas. Dos R$ 288 milhões que serão lançados, 15% estarão na cidade de São Paulo e 15% no Rio de Janeiro. O restante está no interior de São Paulo. Do R$ 8,6 bilhões do VGV da Rossi, 69% foi adquirido por meio de permuta. No caso do segmento econômico, essa parcela sobe para 90%.

Corretor Online

Preencha nome e e-mail para iniciar um chat ao vivo com nossos corretores.

CRECI

Vídeo