Selo Black Friday

Imprensa

Preços sobem mais de 15% na Mooca e no Tatuapé em apenas quatro meses

Fonte: Diário de S. Paulo - SP

Publicado em: 06/11/2010

Quem comprou apartamento na Mooca e no Tatuapé em julho deste ano já pode ficar contente. O preço dos lançamentos na região estava em outubro, até 18% maior do que em julho. Esta foi a valorização média do metro quadrado de um apartamento de três dormitórios e duas vagas na garagem na Mooca, de acordo com um levantamento da Geoimovel. O mesmo tipo de imóvel teve aumento de 15,9% no Tatuapé, no mesmo período, conforme a pesquisa.

Os motivos que explicam a valorização são muitos. Um deles é a conjuntura econômica. O Índice Nacional da Construção Civil (INCC) em setembro atingiu 5,8%. No mesmo período do ano passado, estava em 4,59%. A meta do IPCA (índice oficial de inflação) para este ano é de 4,5% em relação a 2008. Mas um relatório do Banco Central divulgado em 15 de outubro mostra que o IPCA pode chegar aos 5,2% ao fim de 2010.

Outro motivo influencia a alta dos preços na Mooca e no Tatuapé: a demanda aquecida e os terrenos cada vez mais raros.

De acordo com o diretor da regional São Paulo da Rossi, Rubens Júnior, imóveis no bairro vendem bem. "A conjuntura econômica, a demanda, o custo da construção, o desejo de morar no Tatuapé influenciam o preço. Os terrenos também vão acabando. É um círculo virtuoso", afirma.

Já o delegado seccional Leste do Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci-SP), Reis Ferreira da Silva, afirma que os preços estão maiores, mas as vendas caíram. "As empresas subiram o preços dos imóveis novos e isso também eleva o valor dos usados. Mas as unidades de alto padrão não vendem imediatamente", afirma.

Rubens diz que, em breve, a Rossi vai entregar as chaves de um prédio de alto padrão, e garante: "O produto valorizou muito. Nenhum daqueles proprietários vai reclamar (do preço)".

Corretor Online

Preencha nome e e-mail para iniciar um chat ao vivo com nossos corretores.

CRECI

Vídeo